Último Passe 

2016-01-19
A Taça da Liga e o rendimento de William Carvalho

A Taça da Liga não é a competição mais importante do panorama nacional. Longe disso. Há quem dela se sirva para dar ritmo competitivo aos jogadores menos utilizados, com isso ganhando mais alternativas para os jogos que realmente contam. E há quem tente recuperar jogadores titulares que atravessam um mau momento, de forma a poder voltar a confiar neles em jornadas de maior dificuldade. Benfica e Sporting tentaram fazer um pouco das duas coisas nos jogos com o Oriental e o Portimonense, duas equipas do segundo escalão. Com mais apostas ganhas pelo Benfica, que sofreu muito mas acabou por ganhar (1-0) no Carlos Salema, e algumas perdidas, sobretudo pelo Sporting, que foi batido no Algarve (2-0). O destaque vai para William Carvalho, que começa a ser um problema sério para Jorge Jesus resolver, de preferência a tempo de o ver ser importante na corrida ao título e convocado para o Europeu.

Substituído ao intervalo nos últimos dois jogos do Sporting, fosse por apatia ou desconcentração, o médio internacional esteve ligado aos momentos mais importantes da derrota leonina. Primeiro, porque falhou uma cobertura defensiva a um movimento (também ele errado e hesitante, aliás) de aproximação à bola de Ewerton, deixando que o seu homónimo do Portimonense se lhe adiantasse a aparecesse frente ao guarda-redes para abrir o marcador, num momento em que os leões até estavam bem no jogo. Depois, por ter desperdiçado uma grande penalidade, ainda com 1-0 no marcador, a 10 minutos do fim, ainda muito a tempo de devolver a equipa na discussão do jogo. Jorge Jesus, que foi capaz de potenciar médios-centro posicionais como Javi Garcia ou Matic e até de transformar Samaris num jogador apto a alinhar naquela posição, está a assistir a um fenómeno inverso com William, que foi a joia mais brilhante a crescer no Sporting nos últimos anos. Basta ver que, nas últimas três partidas, o Sporting tem um score de 0-5 nos 180 minutos com William em campo e de 5-1 nos 90 em que ele ficou a ver os companheiros.

A derrota deixa os leões em situação muito problemática na competição: entram para a última jornada a precisar de ganhar em Arouca e, mesmo que o Portimonense perca em Paços de Ferreira, ainda têm de anular os cinco golos de desvantagem que têm neste momento relativamente aos algarvios. Mas afinal, mesmo que tenha sido apenas para acicatar o treinador anterior, Bruno de Carvalho até decretou, há um ano, que o Sporting jogasse a Taça da Liga com a equipa B, de onde se depreende que a sua conquista não era bem uma prioridade. Bem ao contrário da Liga, onde o sucesso dos leões depende muito do regresso do verdadeiro William Carvalho.